Doctor Who: aparição de Jenna Coleman em Twice Upon a Time era pra ter sido diferente
02.09.2018
postado por JCBR
Na edição #521 da Doctor Who Magazine, a diretora Rachel Talalay e o ex-showrunner Steven Moffat, revelaram que os planos originais da Jenna no especial e Natal da 10ª temporada de Doctor Who, como Clara Oswald, era pra ter sido bem diferente. Confira mais detalhes da matéria que traduzimos do site Radio Times:

O especial de Natal de Doctor Who [transmitido] em dezembro foi cheio de retornos emocionantes, desde o retorno dos companions Bill Potts (Pearl Mackie) e Nardole (Matt Lucas) à nova versão de David Bradley do Primeiro Doutor (originalmente interpretado por William Hartnell na década de 1960).

E talvez o maior retorno surpreendente tenha sido da ex-companion Clara Oswald, que disse um adeus final ao Doutor de Peter Capaldi que está de saída (graças às memórias dela que estavam armazenadas no Testimony, um alien robô feito de vidro) em uma cena curta e emocionante perto do final do episódio.

Contudo, agora foi revelado que os planos para essa cena eram bem diferentes. Com a agenda ocupada de Coleman devido as gravações para a série da ITV, Victoria, a cena teve de ser escrita várias vezes para que Clara fosse inserida na história.

“Teria sido uma grande perda se Jenna não pudesse participar”, disse a diretora de Twice Upon a Time à Doctor Who Magazine na última edição.

“Deus sabe o quanto ela está ocupada. Não é como se fosse “Eu não quero fazer isso”, está mais para ” Sou a protagonista de uma grande série e você está me pedindo para encontrar tempo para participar do seu especial.””

Originalmente, tinha sido planejado que Clara apareceria com os outros companions de Peter Capaldi; Pearl Mackie e Matt Lucas, nas cenas finais do episódio com o trio interagindo antes da cena final nesta conversa:

Doutor: Vou te dizer uma coisa. Eu sempre preferi você.
Clara: Preferiu quem?
Bill: Qual de nós?
Nardole: Eu sei.

A sequencia terminaria com o Doutor dando uma risadinha maléfica e andando para trás até a TARDIS, mas, infelizmente, tudo teve que ser mudado quando ficou claro que a agenda de Coleman estava muito ocupada.

“Eu reescrevi, reescrevi e reescrevi tudo o que foi possível de acordo com a agenda de Jenna”, disse o autor do episódio Steven Moffat.

“Não conseguimos ter Jenna no nosso set. Não conseguimos ter os três companions juntos. Mas ela fez uma participação mágica no campo de batalha, a qual tivemos que filmar separadamente com o uso de alguns efeitos visuais incríveis.”

Peter teve que atuar para uma bola de tênis, assim como Jenna, em um fundo verde mais tarde, no antigo estúdio Top Gear, no meio de Londres, com carros de bombeiros passando”, recordou Talalay.

“Ambos tiveram que entender toda aquela história juntos, seus dois anos juntos sem que nenhum dos dois estivessem de fato estado juntos.”

“É muito difícil combinar essas coisas de modo que parecesse que eles realmente estiveram juntos. Mas acho que conseguimos.”

E, no final, essa mistura acabou tendo um significado especial quando Steven Moffat fez sua reverência final a Doctor Who.

“Meu último momento de produção não foi nenhum daqueles que alguém acha que foi. Aconteceu no estúdio de Top Gear, na antiga TV Centre – que atualmente é o escritório internacional da BBC Worldwide – com a equipe reduzida, Rachel e Jenna”, disse. “De fato, esse foi o meu último momento em Doctor Who. Na antiga TV Centre. Como deveria ser.”

“Toda a história é sobre memórias, e Steven Moffat, em sua genialidade única, conseguiu incluir a Clara nisso tudo”, Talalay acrescentou.

“O fato de que o Doutor perdeu suas lembranças de Clara, ter conseguido recuperá-las no episódio especial de Natal, para mim foi algo brilhante.”

Clique aqui para conferir a matéria original.