“ELA É UMA ATRIZ INCRÍVEL E FOI COMO UM APOIO PRA MIM”, SALLY FIELD SOBRE JENNA COLEMAN
25.04.2019
postado por Thaíne
Em entrevista divulgada pelo site Evening Standard na manhã de ontem, 24, Sally Field elogiou Jenna e ambas falaram um pouco sobre estrelar All My Sons.

Confira a tradução:

A ganhadora de dois Oscars, Sally Field, elogiou a co-estrela Jenna Coleman como seu “apoio” quando a dupla fez sua estréia em Londres, na peça de Arthur Miller, All My Sons.

A peça no Old Vic é estrelada por Sally Field como Kate Keller, uma mulher que tenta manter sua família unida enquanto recusa aceitar a morte de seu filho piloto na Segunda Guerra Mundial, e Coleman, que interpreta a namorada do falecido piloto.

É a primeira vez que Field, cuja carreira de cinco décadas incluindo papéis no programa de TV de sucesso ER e filmes como Forrest Gump, Mrs Doubtfire e Lincoln, aparece no palco de Londres.

A peça também é a primeira estréia profissional completa de Coleman, que conseguiu seu primeiro grande papel na TV em Emmerdale enquanto fazia audições para a escola de teatro e teve um fluxo constante de trabalho desde então, incluindo papéis em Doctor Who, Waterloo Road e Victoria da ITV.

Elogiando sua co-estrela, Field diz: “Ela estava deslumbrante. Nós seguramos as mãos nos bastidores e ela ajuda a me transportar para onde eu preciso ir e espero ajudá-la também. Ela é uma atriz incrível e foi como um apoio pra mim.”

Miller fez seu nome com a peça de 1947, inspirada no caso real de donos de uma empresa de engenharia que conspirou para fornecer motores de aeronaves defeituosos durante a Segunda Guerra Mundial.

Field disse que a peça, estrelada por Bill Pullman como seu marido e Colin Morgan como o filho sobrevivente do casal, era sobre “a mentalidade corporativa e a perda da moral e honestidade”.

Field, 72, que começou como atriz em meados dos anos 60, fez sua estréia no palco de teatro nos EUA apenas em 2002, também disse que aparecer no teatro histórico em Waterloo foi o culminar de “uma visão romântica”.

Ela disse: “Crescer sendo uma garota americana na Califórnia foi ideal romântico de um grande teatro”. Coleman, 32 anos, disse que fazer sua estréia em “uma peça tão grande” foi “emocionante”. Ela acrescentou: “Eu estava tão sensibilizada pela genialidade de Arthur Miller, é apenas uma peça emocional incrivelmente bem trabalhada”.

Não é a primeira peça de Miller no Old Vic neste ano. Seu trabalho de 1980, The American Clock, foi apresentado em fevereiro e março e o vizinho do teatro, Young Vic, também está prestes a abrir uma produção de sua obra Death Of A Salesman, estrelada por Sharon D Clarke e Wendell Pierce.