Arquivo de 'johanna'



Jenna revela que adoraria ver Johanna Constantine na 2ª temporada de The Sandman
04.08.2022
postado por JCBR
Ainda sem sinal verde da Netflix para uma 2ª temporada de The Sandman, Jenna Coleman revelou que adoraria explorar mais sua personagem Johanna Constantine em uma temporada futura. A atriz também conta para a Netflix sua cena memorável, como se preparou para interpretar Constantine e mais. Confira:

Depois de cinco anos, Jenna Coleman está retornando a este gênero de televisão. Mas desta vez, ela não está interpretando a companheira de um herói enigmático e encasacado como fez em Doctor Who. Com The Sandman, Coleman está vestindo seu próprio casaco para retratar uma mulher ousada, aventureira e misteriosa. Na próxima adaptação do quadrinho inovador de Neil Gaiman, Coleman interpreta Johanna Constantine, uma detetive ocultista sardônica que é assombrada por seus próprios demônios e relacionada ao personagem da DC Comics, John Constantine (Coleman também interpreta a ancestral de Johanna, Lady Constantine). Bem no início da temporada, a complicada necromante cruza o caminho do titular Sandman, Morpheus (Tom Sturridge), o Senhor dos Sonhos, logo depois dele escapar de sua prisão de um século. Morpheus está em busca de vários itens poderosos e relutantemente se volta para Constantine para encontrar um deles.

Abaixo, Coleman leva Tudum para dentro de sua interpretação de Constantine, como foi trabalhar com Gaiman e muito mais.

Como você se juntou ao Sandman?
Eu sou uma fã de longa data de Neil Gaiman. Obviamente eu trabalhei com Neil antes em Doctor Who. Foi um dos meus primeiros episódios, ‘Nightmare in Silver’. Já tive esse relacionamento anterior com ele. E então eu estava filmando em Bangkok e algum material chegou até mim. E eu sabia que era Sandman, mas não sabia qual [personagem], então foi puramente uma resposta instintiva dos roteiros que me enviaram. E então eu tive uma [conversa] mais tarde com [o produtor executivo Allan Heinberg] e ele explicou a ideia de que temos Lady Johanna Constantine [em flashbacks e que tem] uma ascendência direta de Johanna Constantine, nossa detetive de cadáveres contemporânea de aluguel.

Neil era um escritor contratado em Doctor Who, mas aqui ele está jogando em um mundo que ele criou. Como foi trabalhar com ele em algo que era tão pessoal para ele?
Essa foi a grande coisa para mim – seu mundo é tão vasto, rico e poético e [ele tem] uma imaginação tão psicodélica. Para uma artista, permite que você traga uma sensação de teatro que é muito difícil de encontrar em um material como esse. E parece que é tão distinta a estética visual, a imaginação e a arte de Neil Gaiman. Essa foi uma grande razão para eu querer fazê-lo.

Fora o que estava nos roteiros, como você começou a desenvolver sua performance quando descobriu que estava interpretando Johanna Constantine?
O que foi ótimo é que eu já a tinha construído a partir do que li baseado apenas no roteiro antes mesmo de saber [que estava interpretando Johanna]. O que foi ótimo foi que me permitiu ter uma reação muito instintiva à escrita de Allan ao invés de ser influenciada por qualquer coisa. Então isso meio que me colocou, eu acho, em um bom caminho com ela. E então muito da pesquisa veio dos quadrinhos, [a história de Gaiman] ‘Dream a Little Dream of Me’ e olhando para exorcismos e seguindo a rota de pesquisa oculta também.

Foi ótimo ter essa personagem tão perto [nas páginas], mas depois entrar e vê-la realmente mudou. Acho que quando começamos a definir, em termos do encontro de Sonho e como Tom [o apresentou], era como se ele estivesse completamente presente e fundamentado no mundo com você, mas seu movimento, sua voz, pegou essa natureza etérea. Ele está operando em tantos níveis de consciência ao mesmo tempo. Foi tão interessante porque eu estava tipo, ‘Eu não estou reagindo [como] este é apenas outro humano ou outro personagem. Este é outro tipo de ser.’ Então realmente mudou a dinâmica e a performance, apenas trabalhando com ele e reagindo à sua interpretação de Sonho.

Como você descreveria a diferença entre o que você preparou e o que seu desempenho se tornou quando você interagiu com esse ser de outro mundo?
Acho muito difícil de descrever. Há uma certa desilusão e desencanto com Johanna Constantine. Ela trabalha desde jovem. Ela já viu muitas coisas em sua vida. É muito difícil surpreendê-la ou intrigá-la. Eu também acho que ela tem um vasto intelecto e fica entediada com facilidade e rapidez. E acho que é aí que entra o aspecto de vigarista também. Ela está sempre olhando três passos à frente e operando de forma a tentar distrair as pessoas enquanto está fazendo outra coisa por trás. Considerando que com Sonho, e o que eu descobri com Tom em termos de ritmo, ela ficou meio intrigada com ele, então acho que mudou um pouco o ritmo.

Ela pode facilmente ler as pessoas e muito facilmente, claro, enganar e ser aquela vigarista, enquanto obviamente Sonho é um tipo totalmente diferente de pessoa das que ela já entrou em contato antes. Então, é meio que ver Johanna de uma maneira que, primeiro, ela está impressionada com ele e o admira, mas também, ela está tentando descobrir como quebrá-lo e [descobrir] onde estão suas fraquezas e usando humor ou sagacidade para fazer isso enquanto ela também está constantemente calculando. É como jogar uma partida de xadrez; ela está jogando xadrez com ele o tempo todo. Enquanto estávamos filmando, houve certas cenas em que eles tomaram direções inesperadas. E acho que há uma admiração mútua pelo outro com uma relutância absoluta em demonstrá-la. Acho que foi como um adorável e lento amanhecer de uma amizade de dois guerreiros solitários.

O episódio 3 aborda uma tragédia do passado de Constantine. Como isso influenciou seu desempenho?
Estou muito feliz por termos mostrado isso na tela, porque realmente eram suas raízes na classe trabalhadora. E ela é uma trabalhadora e ela está aprendendo seu ofício e fazendo as coisas erradas e [o episódio 3 mostra] onde ela aprendeu o conjunto de habilidades e seu ofício. Também ajuda o público ver Johanna em seus primeiros dias, de quem ela era até quem ela é e como ela está operando agora. Mas sim, achei muito informativo voltar às raízes e também [explorar] o que a mantém acordada à noite e o que está em seus sonhos e o que a está torturando, onde ela errou e o fato de que eu não acho que ela possa se perdoar.

Houve uma cena ou dia particularmente memorável no set?
Eu realmente amei as coisas com Mad Hettie [que avisa Constantine sobre Sonho] porque eu senti que estava saindo dos quadrinhos. Eu podia ver as imagens dos quadrinhos ganhando vida. E estávamos filmando em Londres no auge da pandemia, e não havia ninguém [em nenhum lugar]. Londres estava tão quieta. É a mais quieta Londres que já vi e havia algo muito bonito nisso. Então, sim, eu diria isso. E há certas cenas icônicas, como Sonho com o Corvo em forma de silhueta e Johanna na chuva com o guarda-chuva – há algo como uma referência a muitos daqueles filmes noir antigos.

O casaco pode ser o aspecto mais icônico de Constantine. Você teve alguma informação sobre ele? Você experimentou vários looks até encontrar o certo?
Sim, passamos por versões muito diferentes de Johanna Constantine. Houve uma versão que nós observamos, que era muito parecida com o casaco malandro semelhante aos quadrinhos. E então eu estava olhando para versões em que eu tinha camisas mais elegantes, mas depois suspensórios e calças masculinas, muito mais ásperas e rasgadas e um pouco desalinhadas. Mas acho que foi Allan em particular quem quis ver, essa é Johanna Constantine, que agora é uma exorcista da família real. Ela é uma mulher trabalhadora que subiu ao topo de sua classe, e se saindo bem por si mesma e [ele queria] trazer est Constantine elegante, mais afiada, blindada e organizada. E acho que há algo sobre esse casaco também, que parecia uma armadura de várias maneiras e uma boa maneira de disfarçar e esconder. Eu também acho que realmente funcionou como uma antítese do Sonho visualmente, o preto e o branco e as silhuetas. Muito do show é sobre justaposição.

Onde você espera ver a personagem ir em uma potencial segunda temporada?
Nós apenas começamos a ver Lady Johanna Constantine [na 1ª temporada], então acho que definitivamente há muito mais para explorar lá. Mas em termos da personagem contemporânea Constantine, sim, eu adoraria ver essa versão em particular retornar.